Aikido Journal Home » Articles » Kannagara No Jutsu (Arte do Shinto) Aiki News Japan

Kannagara No Jutsu (Arte do Shinto)

Available Languages:

por Morihei Ueshiba

Aiki News #60 (March 1984)

Traduzido por Arthur de Paiva Napoleão - Hikari dojo (RJ)

Morihei Ueshiba c. 1935
Essa noite eu gostaria de dar uma simples explicação como resposta às perguntas de vocês, os estudantes. Conferências sobre bujutsu nunca são sobre algo que se possa realmente falar ou escrever. Diariamente eu rezo aos deuses que todos vocês vão, algum dia, ter maestria no verdadeiro bujutsu. A arte que eu ensino é o bujutsu da Mãe Natureza que é baseado em “Kannagara No Michi”, (isso e dizer, nosso Shinto). Esse poder das manifestações de todas as coisas na terra e coisas como o sol e a lua do Universo nos ensinam o bujutsu.

Esse “Bujutsu da Mãe Natureza”, Ueshiba traz a todos através do “Kannagara”. Através de “Satori” alguém realiza a forma de Deus na sua mente/espírito e todas as técnicas marciais do bujutsu se manifestam no corpo humano. Acontece que os seres humanos não podem evitar serem incompletos (em si), tornando impossível expressar em palavras o “Daibujutsu” (Grandes técnicas marciais) que corresponde à Grande Esfera da Natureza. Eu, Ueshiba, espero poder treinar essa grande manifestação e a mente/espírito de/do Deus/Deuses com vocês todos, através (de um entendimento) de toda a criação, incluindo o Sol e a Lua. Os seres humanos herdaram esse bujutsu que tem sido passado adiante desde a era dos deuses e o guarda como relíquia (junto com os Deuses), portanto nós devemos observar as difíceis inter-relações entre do Paraíso e a Terra e transforma-las no centro, mais tarde pensando neles como “saniwa” (isso é, um puro e sagrado jardim aonde os deuses vem para comungar com o povo desse mundo). Agora, felizmente fomos capazes de transformar o nosso bujutsu em um tipo de “saniwa” através do destino circular do Paraíso e através do espírito e forma de Mizu no Mitama (o poder da divindade que tudo abrange como foi criado para funcionar ou para ser usado neste mundo para a própria salvação). Por essa razão esse bujutsu não é algo que possa ser expresso através de palavras escritas ou pelo “aprendizado com livros” sem a “Grande Fundação” dos ensinamentos vindos dos ancestrais Imperiais. Quando vocês se tornarem professores essa entidade chamada “Deus” deve ser mantida em primeiro lugar nas suas mentes. Iniciantes, também, devem manter deus nos seus pensamentos do inicio ao fim enquanto eles continuam polindo seu bujutsu. O propósito do treinamento do bujutsu é dirigir ou liderar principiantes.

Através do “Caminho” nós devemos conhecer a sinceridade, através do “Caminho” nós exibimos sinceridade, e desse “Makoto” devemos criar uma imagem e forma. Então é dessa forma que nós exibimos o espírito e o treinamos. Assim nós fazemos da criação de sinceridade o propósito do nosso treino do Budô. Isso é o que nós estamos tentando alcançar. Nós observamos que a santidade na Natureza de todos os fenômenos genuínos e todas as coisas no Céu e na Terra são esclarecidas sobre eles. Então por meio do “Caminho” nós conhecemos a sinceridade (Makoto) e criamos formas assim fazendo com que o espírito (rei) vire realidade.

Através do Treinamento e do polimento de um bujutsu que corresponde a essa Grande Esfera da Natureza nós temos que nutrir e demonstrar claramente o “Yamato–damashii” (o espírito japonês) e realizar o espiritualismo fundamental do Caminho Imperial (kodo), e finalmente unifica-los todos na Verdade – Bondade – Beleza. Baseado nessa unidade, um sistema unificado nasce e através do principio da limpeza nós podemos purificar nossos corpos e mentes.

Esta unificação tem aspectos positivos e negativos. O povo japonês deve, como japoneses, fundirem–se com a forma e o espírito da beleza, isso é, “Verdade – Bondade – Beleza”, o que esta acima e o que esta abaixo devem unir–se.

O âmago autêntico do bujutsu japonês deve manter-se em progresso. O Universo está continuamente avançando e nesse mesmo bujutsu verdadeiro deve-se ir adiante. O avanço é sempre um curso seguro, mas se você retirar–se será cortado pelo inimigo. Portanto, nós vemos que o budô japonês é executado por avançar e unificar todas as coisas na Bondade. O bujutsu deve estar de acordo com a rotação do Paraíso e da Terra. O corpo humano é uma miniatura do Universo, uma pequena versão do Cosmo. Se você quer treinar no bujutsu unifique o seu espírito. O corpo é treinado de acordo com o “Caminho” exatamente como o espírito pensa e então nós somos capazes de unificar o corpo também. Desde que a unificação do espírito e o corpo há a formação do genuíno Yamato–damashii, o espírito japonês, esse bujutsu enviado pelo Céu é um realce desse espírito, a realização do poder dos deuses e o realce da força do país. Os ensinamentos ancestrais e imperiais continuam existentes e quando nós estudamos a Grande Fundação do Caminho Imperial e o expressamos externamente então com certeza o Yamato–damashii vai aparecer e alguém vai chegar à realização (satori) do “Bujutsu vindo do Paraíso”. Isso é dizer, o bujutsu era dirigido pelo “Caminho” que resulta dessa Iluminação (satori), expressado em formas e unificado em Bondade. Então não existem pontos vulneráveis (suki) no bujutsu onde “Verdade – Bondade – Beleza” está unificada.

O bujutsu japonês é a matriz do bujutsu do mundo, e ao mesmo tempo, é a Grande Fundação (também se leia Omoto) e sua essência. Quando o espírito e o corpo estão unificados para formar o espírito japonês (Yamato–damashii) e transformado em poder, e o corpo e espirito que são “abertos” instantaneamente são uma expressão da escritura Omoto que diz, “Por todo o mundo ameixeiras florescem”. Isso (abertura do espírito e corpo unificados) é o verdadeiro âmago do bujutsu, então isso vai se transformar em qualquer coisa que você imaginar.

Uma pessoa que conhece o verdadeiro budo japonês pode comandar um exército. O bujutsu que alguém praticou de acordo com a verdade do universo é apontado em uma escala mais ampla de observação. Céu e Terra, todos os fenômenos e o Grande Universo são (por fora) a aparência de deus (es) e receber a Grande Mente de Deus na sua mente e utiliza-la é “Bu”. Esse é o desígnio dos deuses.

“Bu” é kami (um espírito exaltado). A expressão de Bu causada por Deus (o espirito do universo) é a purificação do vento, da água e do fogo. É (também) a “Mente do Amor” para a recriação da Terra em uma forma pura, (com) mais “Verdade- Bondade – Beleza”. Os três desastres: fome, praga e guerra são a descida da “Espada Sagrada do Espírito do Amor e da Bondade” para reformar os corações da humanidade e trazer paz para o mundo através do Amor e da Bondade. Em tais casos a “Espada da Verdadeira Sinceridade” é trazida em jogo e o inimigo pode ser facilmente subjugado. Bu é entender a mente de Deus. Bu é a vida e a alma do Japão. O budô japonês é a mutua nutrição sagrada que vem junta da aparência e dos trabalhos de Deus com a mente divina do amor de todos os seres.

Na visão do “Deus do Bu” não existe diferença entre o mundo espiritual e o mundo presente. Transformar esses dois mundos em um é a mente e forma de Deus. É assim que “bu” deve ser. Se transformarmos em “saniwa” todas as coisas de acordo com caminho do Shinto nós podemos entender a verdade do bujutsu. Uma pessoa que serve o “Caminho de Bu” deveria do inicio ao fim apenas rezar ao deus genuíno, construir virtude, e sinceramente estudar Bu. Isso é, através do treinamento em Bu deve–se purificar a mente e o corpo e atingir “um sincero espírito/mente (Magokoro)”.

Em resumo, por humildemente entender a Grande Fundação do Caminho Imperial e deixando todas as pessoas conseguirem maestria na solene e incomparável “Policia Nacional Imperial”, o leal e sincero damashii japonês deve ser nutrido e treinado. Quando essa forma é manifestada isso é bujutsu.

Finalmente, deixe–me dizer que o bujutsu não deve se mover lentamente como fluxo de eras. Nós devemos entender a vontade de Deus, então tomar o comando e ativamente formar as eras.

(de uma publicação Budo senyokai intitulada “Budo” que apareceu originalmente em julho de 1933)