Aikido Journal Home » Articles » Entrevista A Morihiro Saito Aiki News Japan

Entrevista A Morihiro Saito

Available Languages:

por Stanley Pranin

Aiki News #13 (June 1975)

Traduzido por Pedro Escudeiro

Numa entrevista que saiu no Aikido, O-Sensei explica que estava envolvido no treino para o esforço de guerra do Japão. Pode por favor falar-nos das suas actividades?

Depois da Guerra, O-Sensei tinha muito tempo livre, comparando com antes da Guerra. Nos anos pré-Guerra ocupava-se viajando por todo o Japão ensinando nas escolas militares. Este trabalho acabou com o fim da Guerra. Não tendo mais a possibilidade de fazer estas coisas, O-Sensei dedicou-se à agricultura, cultivando arroz e vegetais. Foi nessa altura que me tornei seu aluno. O-Sensei começava a concentrar-se no estudo das técnicas. Ele era capaz de estudar o Aikido de uma forma lenta e ponderada. É por isso que O-Sensei costumava dizer que o seu budo do pós-Guerra é o verdadeiro Aikido.

O-Sensei foi profundamente afectado pelas terríveis consequências da Guerra. Isso parece que o levou a reavaliar a sua ideia em relação ao objectivo do budo durante os seus anos em Iwama, imediatamente a seguir à Guerra. Pode comentar estas alterações?

O-Sensei ensinava na Academia do Exército e Naval, Escola de Toyama (uma academia de polícia), na Escola de Espia e por aí adiante. Ele também ensinava pessoas associadas com os militares. Ele ensinava instrutores e professores de artes marciais na Academia do Exército e Naval. Havia um bom número de solicitações para instrução; um grande número de oficiais de elevadas patentes vinham ao Hombu Dojo. As histórias como estas são verdadeiras. Eu ouvi muitas depois que a guerra acabou. Muitas de seguidores de O-Sensei que eram meus veteranos e que estiveram envolvidos na Guerra. Finalmente, depois que a Guerra acabou, tiveram lugar os julgamentos militares americanos. Muitos dos seguidores de O’Sensei estiveram envolvidos nestes julgamentos.

Contudo, uma vez que O-Sensei falava constantemente acerca de “Kamisama” (divindades) e ensinava o amor e a harmonia, as autoridades americanas não disseram nada. Muitos dos seguidores de O-Sensei eram considerados culpados, nestes julgamentos. Como só os ensinamentos de O-Sensei eram apropriados, não lhe aconteceu nada. E, quando eu me tornei aluno imediatamente a seguir à Guerra, O-Sensei viajava para a maior base militar americana em Yokohama para demonstrar a sua arte. Mais uma vez, nada disseram. Estava tudo bem.

Em 1948, o governo japonês retirou o termo “bu” (marcial) de “budo” e o “bu” de “Aiki Budo”. Assim, formou-se a Fundação Aikikai e deixava de haver um “Aiki Budo”. A Fundação Aikikai recebeu a permissão do governo desde o início e muitos bons budo (artes marciais) foram salvos. Depois disso O-Sensei começou a estudar as técnicas fervorosamente. O-Sensei costumava dizer que o verdadeiro Aikido veio depois da Guerra. Havia uma série de alunos antigos que regressaram e começaram a ensinar Aikido. Contudo, o treino deles era ligeiramente diferente do nosso. Fosse o que fosse que eles fizessem, movimentar o sabre, etc., era bastante severo.

Quando O-Sensei fazia suwari waza (técnicas sentadas), fazia-o constantemente. Quando começava o treino de ryote dori praticávamos ryote dori todos os dias. E O-Sensei também estudava sozinho. Foi nessa altura que eu me tornei seu aluno. Foi-me ensinado tudo. Tive muita sorte.

(The full article is available for subscribers.)

Subscription Required

To read this article in its entirety please login below or if you are not a subscriber click here to subscribe.

Username:
Password:
Remember my login information.